Texto – Conversando com meu Eu interior

Estive conversando com meu Eu interior esses dias, verificando informações que há tempos havia esquecido… Sei que é meio louco dizer que estava conversando com o meu Eu interior, eu sei! Mas nesse mundo, onde a gente não pode confiar em quase ninguém, é difícil encontrar uma pessoa sincera para conversar e nada melhor do que conversar com si mesmo.

urso

Comecei a relembrar o passado. Lembrar da época em que tudo era mais fácil, em que a coisa mais difícil que eu tinha para fazer era decidir qual seria a brincadeira do dia. Lembrei dos sonhos que eu tinha quando criança, das fantasias que eu fazia de como seria minha vida, quando eu me tornasse a adulta que eu tanto queria ser. Me peguei rindo sozinha!

Como é engraçado a expectativa e inocência que uma criança pode ter, né? Quando somos adultos, nos esquecemos que um dia fomos iguais aquelas crianças que encontramos no parque, brincando sozinhos com um galho qualquer e sendo tão felizes com aquilo que, ao nosso ver, é tão simples e sem graça. Esquecemos que um dia tivemos essas mesmas brincadeiras e que também idealizamos sonhos incríveis para nós mesmos…. Sonhos esses que com o tempo, muitas vezes, são deixados pra lá.

Ás vezes sinto uma enorme vontade de voltar no tempo e aproveitar um pouco mais aquela fase. De me lambuzar comendo algodão doce, de correr pelo parque atrás de uma bola, de brincar com minhas bonecas que eu tanto amava. Tenho uma enorme vontade também de conversar com a Andressa de 5 anos, de perguntar quais eram seus sonhos, o que ela mais gostava naquela época, pois a Andressa de hoje já se esqueceu da maior parte das coisas.

Me pergunto se a Andressa de 5 anos estaria feliz em ver no que a Andressa de 23 se tornou. Se ela ficaria triste em ver que muitos dos seus sonhos não foram concretizados mas que, em compensação, muitos outros que ela nem havia imaginado, foram realizados. Me peguei chorando…

Como é engraçado parar para pensar um pouco no nosso Eu interior. Lembrar um pouquinho no que éramos… Muitas vezes esquecemos que não somos só isso de hoje, que carregamos uma história, que temos uma essência que NÃO pode e NEM deve ser esquecida! Senti as lágrimas escorrerem pelo meu rosto e ao mesmo tempo, senti uma felicidade e uma tristeza invadir meu coração.

Felicidade por saber que por mais que eu não tenha realizado tudo o que achava que realizaria com a idade que tenho, sei que ainda tenho tempo de realizar. E tristeza por perceber que eu esqueci por completo a Andressa de 5 anos. Aquela menininha que era tão meiga e feliz. Me doeu saber que ela ficou presa por tanto tempo, sozinha, dentro de mim.

Devo muito a essa menininha. Literalmente devo a minha vida a ela! Pois é graças a ela que eu sou o que sou hoje. E não posso esquece-la jamais!

A partir de hoje começarei a faze-la mais presente, começarei a lembrar dela mais vezes… E em nome dela, peço que você faça o mesmo com o seu Eu de 5 anos.

Lembre-se do que você queria aos 5 anos. Quais eram seus sonhos? Tente fazer com que o seu Eu de 5 anos não se decepcione. Faça com que os sonhos dele se realizem… Ou pelo menos tente!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s